novidades e outras coisas

Posts tagged ‘irão’

Para não deixar pedra sobre pedra

 Para saber mais, ler aqui.

Entretanto, deixo esta sugestão via Manuel A. Pina no JN O protesto está marcado para as 18 horas, no Largo Camões. Eu teria preferido a sugestão do leitor de um dos blogues que divulgaram a iniciativa: levar à embaixada do Irão um monte de pedras conformes ao artº 104º do Código Penal iraniano, isto é, “não tão grandes que matem à primeira nem tão pequenas que não mereçam a classificação de pedras”.

Anúncios

“…que eu não tenho nem coragem de descrever.”

Ela (Sakineh) é uma criminosa. E esse caso não é político, é criminoso“, disse. “A história foi apresentado como sendo de adultério. Mas isso é uma forma de enganar a opinião pública mundial. Essa mulher é acusada de assassinato e muitas coisas mais terríveis que eu não tenho nem coragem de descrever.” (Gholan Dehghani, diretor de Assuntos Políticos Internacionais da chancelaria iraniana in Estadão)

E como não tem coragem para se explicar, vai daí há que apedreja-la até à morte, talvez só enforca-la, porque somos todos pessoas muito sensíveis…

solidariedade

Em 2006, Ashtiani foi condenada por ter mantido “relações ilícitas” e recebeu 99 chibatadas. Desde então, esta mulher de 43 anos está na prisão, onde se retratou da confissão feita sob a coerção das chicotadas.Só recentemente é que ela foi levada ao tribunal e recebeu um novo julgamento. De novo ela foi condenada e, desta vez, apesar de já ter sofrido uma punição, foi sentenciada à morte por apedrejamento. Essa prática desumana envolve enrolar firmemente a mulher, da cabeça aos pés, com lençóis brancos, enterrá-la na areia até os ombros e golpeá-la à morte com pedras grandes.

Ontem, no final da tarde, o governo do Irã negou a informação de que Ashtiani seria executada por apedrejamento, embora sua sentença de morte ainda possa ser levada a cabo por outro método, provavelmente o enforcamento.” (in site para a libertação de Sakineh Ashtiani)

Ashtiani é somente mais uma vítima dum regime retrógado, cruel e cínico. Mas está viva e pode ser salva.
Sakineh Ashtiani encara a morte após ser torturada por um suposto adultério.

A pressão mediática e o número de assinaturas na Petição para a sua libertação tem tido um efeito dissuasor nestas situações. A Blogosfera tem um papel cívico a cumprir aqui, ao divulgar e promover as assinaturas.

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: