novidades e outras coisas

De vez em quando, alguém teima em me recordar como é perigosa e selvagem a vida em certos recantos deste país, supostamente civilizado.

 

Sempre bem documentado com detalhes macabros e fotográficos, confirma que por aí andam lobos maus e outras criaturas sinistras da noite a comer inocentes bambis, tal qual os vampiros e lobisomens dos best-sellers e blockbusters que a nossa cultura urbana de centro comercial nos oferece para descarga de adrenalina e fantasia onírica.

Illustration of Wolf Approaching Little Red Riding Hood

E diz que o fazem para cevar a fome duma prole desejosa de sangue e carne, e deste modo garantir a perpetuidade destas espécies que se alimentam de outros seres vivos.

Nesta altura dos fogos de Verão, quando andamos iludidos pelo marketing que nos leva a confundir floresta com monoculturas industriais de pinheiro-bravo e eucalipto, é bom que prestemos atenção à “Natureza bem viva, selvagem, que apesar de raramente podermos observar encontra-se ainda bastante preservada no nosso país. Acreditem. Basta olhar para as imagens…

Ok...Espero que todos gostem deles tostado por fora e rosadinhos no meio.

Ok…Espero que todos gostem deles tostados por fora e rosadinhos no meio.

 

Anúncios

Comentários a: "Perigos de quem anda sozinho pela noite…" (2)

  1. Não há nada mais bonito do que observar animais selvagens em seu habitat!
    Eles (os animais) caçam para se alimentar, então eles matam para sobreviver e salvaguardar as espécies.
    Nós (os seres humanos) matamos por motivos diferentes bem…
    E eu vou poupá-lo da lista, querido Pepe!
    Com meu marido ficamos na Escócia, onde, de facto, a natureza e a vida selvagem está muito rica.
    Talvez nós não vimos ursos (estávamos na Suíça, alguns depravado os faria matar para “salvaguardar” as espécies bipide…)
    Tenho certeza de que en Portugal, tanto quanto me lembro, o espectador ainda reserva muitas surpresas.
    Vamos deixar de lado as “pseudo florestas” para corte de madeira…
    Talvez precisemos de recalibrar a nossa mente (e cérebro) para o que ainda precisa acontecer…
    o futuro está ao virar da esquina… e cada um por sí!
    bom dia… Pepe!!! 😀

    • Olá, Claudine

      Tem toda a razão, ainda há dias fui surpreendido com a visão de duas cegonhas negras (espécie rara e em perigo de extinção) abrigadas do rigor do Sol sob a sombra de grandes penedos, à beira-rio. E que emoção, ver pela primeira vez animais tão belos no seu habitat natural!

      Também se prevê para daqui a uma, duas décadas, a chegada de ursos a Portugal, vindos do norte da Espanha. Aí será um regresso verdadeiramente polémico, e esperemos que a consciência ecológica se tenha tornado uma sensibilidade cultural (estou optimista, porque sei como as mentalidades evoluiram nas últimas décadas).

      Com muito trabalho de estudo e divulgação, como aquele que cito no post, as pessoas têm vindo a descobrir a vida selvagem que desconheciam em absoluto, passando a dar-lhe valor ecológico e afectivo. As menos sensíveis também hão-de entender que a preservação da vida selvagem pode resultar numa fonte de rendimentos, enfim… 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: